segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

As Pessoas com deficiência continuam a ser marginalizadas e esquecidos pelo Governo e pelos Engenheiros e Arquitectos deste País, estão constantemente a colocar barreiras arquitectónicas...

Para: metro@metro-porto.pt
Cc: gmoptc@moptc.gov.pt, geral@institutodemobilidade.org,
gp_pcp@pcp.parlamento.pt utentes.metro.povoa@gmail.com


João Couto Lopes
Rua A nº 33
Urbanização da Bouça Grande
4470-719 Vila Nova da Telha – Maia
                                                                                    Conselho de Administração do Metro do Porto
                                                                                    Dr. Ricardo Fonseca
                                                                                    Avenida Fernão de Magalhães, 1862, 7º
                                                                                    4350-158 Porto

Maia 7 de Fevereiro de 2010

Assunto; Perigo nos acessos ao (Tram-Train) .

Exmo. Sr. Presidente do Conselho de Administração do Metro do Porto, Dr. Ricardo Fonseca.

Venho por este meio mostrar o meu desagrado com as novas composições do Metro na Linha B os (Tram-Train).

Sou deficiente motor a minha locomoção na via publica só é possível em cadeira de rodas, tenho-me movimentado com certa frequência no Metro por ser o melhor transporte publico para quem anda de cadeira de rodas, e ao entrar nas novas composições senti enormes dificuldades no acesso há mesma, fiquei preso na entrada tive de ser ajudado por passageiros para sair daquela situação incomoda e perigosa por ter ficado metade dentro da composição e metade fora, as rodas ficaram presas no intervalo do cais e da composição do Metro, se não fosse ajudado não sei como sairia dali.

Aproveito também para dizer que o local onde as cadeiras de rodas podem estacionar não são as melhores, fica muito longe da porta e o Metro indo cheio existe imensa dificuldade em sair na paragem que pretendemos, o mesmo se passa na entrada.

A Metro colocou novas composições na linha B, mas quando se muda deve ser para melhor, o que não aconteceu, com o novo Tram-Train mudou para pior, não só para os deficientes em cadeira de rodas ou os invisuais, qualquer pessoa mais distraída coloca um pé naquele intervalo entre a entrada da porta e o cais.

Nos Eurotram isso não acontecia, mal entravamos ficávamos logo ali prontos para sair.

Ao não se proceder a correcções dos patins de entrada digo que os Tram-Train vieram complicar a vida ás Pessoas em cadeira de rodas a Invisuais e a todos os Utentes em Geral.

Faço um apelo a V. Exa. Para que tome este reparo como sugestão e proceda há sua reparação, os utentes em cadeira de rodas e os invisuais ficam-lhe gratos, é só ajustar (aumentar) e elevar mais um pouco o patim de entrada

Tenho a esperança de que V. Exa. Seja sensível a esta situação e mande com carater de urgência corrigir as entradas dos novos Tram-Train.

Por favor repare nas fotos, o fosso entre o patim e o cais, a segurança dos utentes está em perigo.

Nota:
Dou conhecimento deste e-mail a outra entidades.
Envio (4) quatro fotos em anexo, elucidativas do perigo que é entrar no Metro do Porto os Tram-Train.

João Couto Lopes




Sem comentários: